08 julho 2011

Efésios 6:10-17 – Uma Batalha Espiritual

“Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”.

            Mais cedo ou mais tarde, todo crente descobrirá que a vida cristã é um campo de batalhas. E, o pior de tudo é que a maioria destas batalhas são contra inimigos invisíveis e muito poderosos. Na verdade como crentes enfrentamos três tipos de inimigos: O mundo, a carne e o diabo (Ef 2:1-3). O mundo é sistema que nos cerca e que se opõe a Deus. A sociedade separada de Deus é um pequeno exemplo do mundo. A carne é a velha natureza que herdamos de Adão. É uma natureza que se opõe a Deus, e que não consegue e nem pode fazer nada que O agrade. O terceiro é o diabo, o qual é mencionado nesta passagem, e que falaremos a respeito neste post. Portanto para lutarmos bem nesta guerra temos que conhecer bem os nossos inimigos e o nosso armamento.

Quem São os Inimigos do Crente? - Efésios 6:10-12.

           O corpo de espionagem tem um papel importantíssimo numa guerra, porque ajuda os oficiais conhecer e compreender o inimigo. Se não soubermos bem quem é o inimigo, onde está, e o que podemos fazer, a batalha se torna ainda mais difícil. Não é apenas aqui em Efésios 6 que Deus nos mostra quem é nosso inimigo, mas a Bíblia toda, Deus não quer que sejamos pegos de surpresa. Sabemos que o exército do nosso inimigo além de ser invisível, tem um líder muito poderoso.
            O líder deste exército é o Diabo, (vs. 10-11). Ele é conhecido por muito outros nomes diferentes. Dois nomes encontrados no Novo Testamento são “Satanás”, que significa adversário “Satanás” significa adversário porque é inimigo de Deus. “Diabo” que significa acusador, porque acusa o povo de Deus de dia e de noite: Então ouvi uma forte voz dos céus que dizia: Agora veio a salvação, o poder e o Reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, pois foi lançado fora o acusador dos nossos irmãos, que os acusa diante do nosso Deus, dia e noite (Ap 12:7-11). A palavra “Diabo” vem da palavra grega “diabolos”, que significa “falso acusador”ou “difamador”. Mas existem muitos outros nomes descritivos para o Diabo no Novo Testamento que são: “o maligno” ou “o mau” (Mat. 3:19; 1 João 5:19), anjo de luz (2 Co 11:14), o enganador (Ap 12:9), pai da mentira (João 8:44), Belzebu o deus da imundícia (Mt 12:24), o acusador (Ap 12:10), o assassino (João 8:44), o principe (Ef 2:2), o rei deste mundo (João 12:31), o tentador (1 Tss 3:5), a serpente (Ap 12:9), o grande dragão (Ap 12:9), o leão (1 Pe 5:8) e o deus deste século (2 Co 4:4).
        Os demônios são os soldados dele, (v. 12). Os soldados são muitos e não os vemos, as vezes é bom lembrarmos disto, e procurarmos utilizar as armas que Deus nos fornece para esta batalha. Com as armas de Deus podemos lutar e a cada dia ir vencendo as batalhas que vão sendo travadas durante a vida terrena.
            Este inimigo gosta muito preparar armadilhas e possue grandes habilidades nesta área. São conhecidas como “ciladas” que tem a ideia de armadilhas, artimanhas, astúcia do diabo. Em outras palavras é um inimigo perigoso e habilidoso e para vencermos precisamos do poder de Deus. Então, a segunda coisa que temos que conhecer são nossas armas.

Quais São as Armas do Crente? - Efésios 6:13-17.

              Para enfrentarmos um inimigo do mundo espiritual, precisamos de armas especiais que sirvam para atacar e defender. Uma boa ilustração para este ponto é uma história fictícia da sabiá, do coelho e da raposa.
           Conta-se que uma sabiá que estava em seu ninho toda feliz com seus filhotinho que acabara de nascer passou por uma terrível experiência, a de ver seus filhos ameaçados sem poder fazer nada. Enquanto ela estava em seu ninho com seus filhotinhos uma raposa lá em baixo começou chamá-la:
           -- Heeei dona sabiá, quero falar com você.
           A sabiá observando lá de cima achou um tanto estranho aquela raposa querendo conversar com ela, mas disse:
           -- Pode falar, o que você quer?
           -- Vou direto ao assunto, pois, estou com muita fome. Quero que você jogue um de seus filhotes para eu saciar minha fome.
           -- Você está louca? Nunca que eu vou fazer uma coisa dessa.
           A raposa muito astuta disse:          
           -- Então, eu vou subir aí e devorar todos. Não vai ficar um pra contar história.
         Com essa ameaça a sabiá ficou muito aflita e resolveu que seria melhor perder apenas um filho. Então com o coração partido jogou um deles para a raposa. A raposa comeu o filhote e foi embora toda feliz. Assim que a raposa partiu, de trás de uma moita arbustos saiu um coelho e chamou a sabiá.
           -- Hei dona sabiá, não tenha medo estou aqui para te ajudar.
           -- Como você pode me ajudar eu já perdi um de meus filhos!?
         -- Eu sei, disse o coelho. Eu viu tudo. Mas, o problema não foi resolvido ainda. Amanhã ela voltará com a mesma ameaça, e você não precisava jogar seu filhote para ela.
           -- Se eu não fizesse isso seria pior.
           -- Não seria não, raposas não sobem em árvores.
          Quando a raposa descobriu que o coelho tinha atrapalhado seus planos foi atrás dele e o pegou. Mas, o coelho sabiamente consegui escapar dela. Nesta ilustração a sabiá representa o novo convertido, a raposa o Diabo e o coelho o crente maduro. Precisamos utilizar armas espirituais contra inimigos espirituais.
          O cinto da verdade (v. 14a). Satanás é mentiroso, mas se o crente tiver uma vida controlada pela verdade o vencerá. A mentira na vida do crente sempre abaca mal. A verdade sempre vida o bem. A mentira é pecado e trás derrota, mas verdade é divina, pois e Deus é a verdade e trás vitórias.
A couraça da justiça (v. 14b). Era uma peça da armadura feita metal que cobria o corpo do pescoço a cintura, tanto pela frente como por trás. Simboliza a justiça do crente em Cristo (2 Co 5:21). Satanás pode até acusar o crente, mas por causa da justiça de Cristo que temos a salvação e o inimigo não pode fazer nada contra isto.
O calçado do evangelho (v. 15). Por causa do evangelho não somos mais inimigos de Deus, e possuímos a vida eterna. Por causa disto não temos que temer nem ao diabo e nem aos homens. Nosso espírito tem um destino certo e ninguém pode mudar isto. Mas, este calçado também significa outra coisa. Estar calçado com os calçados do evangelho significa que temos que estar preparados todos os dias para anunciarmos o evangelho da paz.
O escudo da fé (v. 16). Os escudos eram de madeira revestidos de couro com bordas que podiam se encaixar formando uma parede sólida. A ideia é que na batalha não estamos sozinhos. A “fé” mencionada não é a fé salvadora e sim a confiança dia a dia nas promessas de um Deus poderoso.
O capacete da salvação (v. 17a). Satanás procura atacar nossas mentes e nos derrotar assim como fez com Eva. O capacete se refere a uma mente controla pelo Espírito Santo. Uma mente que por meio da Palavra a cada dia se torna mais forte.
A espada do Espírito (v. 17b). É uma arma de ataque que Deus nos provê. A espada era usada na luta corpo a corpo. A espada de metal atravessa o corpo, mas a Palavra espiritual atravessa o coração. A espada material quando muito usada precisa ser trocada. A espada do Espírito quanto mais usada mais ela corta.
O mundo é um campo de batalha com inimigos reias e que atancam sem piedade. Nós não os vemos, mas eles nos enchergam até na escuridão ou em baixo d’água. Temos que conhecer o inimigo e o armamento que possuímos temos para nos defender e contra atacar.

4 comentários:

  1. Continuem asim ajudando as pessoas ,eu fui muito ministrada com essa palavra ,estava presisando muito de uma explicaçaõ assim desta palavra e gloria aDeus pela vida de vc estou precisando disto no momento.Já aprendir muito sobre o meo inimigo e as armas qeu tenho nas minhas maõs muito obrigada Deus continue abençoando a todos em nome de Jesus.ass;Ivanete L. Silva

    ResponderExcluir
  2. Louvado seja Deus. Ivanete, somos gratos a Deus por nos revelar em Sua Palavra como podemos como podemos combater o bom combate, nesta batalha que não é apenas contra a carne e sangue, mas também contra forças espirituais. Que Deus lhe abençoe.

    ResponderExcluir
  3. Chegaremos mais longe se juntos. Existem coelhos que agem como sabiás por não terem vigiado como deviam, precisamos agir conforme a vontade de Deus mesmo quando pareça que é loucura. Deus usa sabiás para alertarem coelhos, o sabiá deve obedecer acima dos seus achismos e o coelho ouvir, pois todos estamos nessa guerra e podemos perder batalhas em qualquer momento dela. Hugo Sobral

    ResponderExcluir
  4. "Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar. Resistam-lhe, permanecendo firmes na fé, sabendo que os irmãos que vocês têm em todo o mundo estão passando pelos mesmos sofrimentos" (1 Pe 5.8-9 NVI). Se não vigiarmos seremos vulneráveis.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, pois, sua opinião é importante para nós.