04 agosto 2015

Os Pastores Deveriam Ser Pagos?


O que Bíblia diz...

A Bíblia ensina tanto no Novo Testamento, quanto no Velho Testamento que as pessoas dedicadas ao ensino da Palavra de Deus e a oração tinham o direito de viver de contribuições.

Apenas uma referência seria suficiente entendermos que prebenda pastora é bíblica.

“Não sabeis vós que os que prestam serviços sagrados do próprio templo se alimentam? E quem serve ao altar do altar tira o seu sustento? Assim ordenou também o Senhor aos que pregam o evangelho que vivam do evangelho” (1Co 9. 13-14). 

Mas vejamos mais alguns.

“Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino” (1Tm 5. 17). 

A Bíblia ensina dar “dobrados honorários”, ou seja, honra através da remuneração, como fica claro no próximo versículo:

“Pois a Escritura declara: Não amordaces o boi, quando pisa o trigo. E ainda: O trabalhador é digno do seu salário” (1Tm 5.18).

Existem várias passagem que corroboram essa verdade. Essa mesma verdade se aplica também aos padres e outros líderes religiosos que não exploram o seu povo. Mas, infelizmente existem os FALSOS PROFETAS e a Bíblia nos alerta quanto a existência deles.

“Rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. Porque os tais não servem a Cristo nosso Senhor, mas ao seu ventre; e com palavras suaves e lisonjas enganam os corações dos inocentes” (Romanos 16.17-18)

“Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição” (2 Pedro 2.1)

É preciso saber separar o joio do trigo. Abaixo apresento 10 características de um falso profeta.

  • Um falso profeta relativiza as Escrituras.
  • Um falso profeta fala mais em dinheiro do que em Cristo.
  • Um falso profeta considera sua palavra inquestionável.
  • Um falso profeta prega um evangelho antropocêntrico.
  • Um falso profeta interpreta as Escrituras segundo SEU “próprio umbigo”.
  • Um falso profeta prega o evangelho da confissão positiva desprovido da cruz.
  • Um falso profeta é pragmático – faz aquilo que funciona.
  • Um falso profeta tem sede de poder, vive pelo poder e ama o poder.
  • Um falso profeta se considera melhor do que os outros.
  • Um falso profeta fala de Cristo, entretanto o nega com suas práticas.

Esses homens são encontrados em muitas igrejas chamadas de “evangélicas”, mas que na verdade são verdadeiros “comércios”. Mas isso não significa que TODAS as igrejas e pastores são assim. Então, antes de julgar todos como “farinha do mesmo saco”, procure saber mais, existem igrejas sérias que pregam a Palavra de Deus. Igreja que visam o que realmente importa nesse mundo. 

Com Jesus disse: “Importa-vos nascer de novo”. A igreja verdadeira prega o evangelho de Cristo, o evangelho que salva o pecador, o evangelho que livra da condenação eterna no inferno.

A propósito, palavras como “condenação”, nem são muito usadas nessas igrejas “comércios”, elas espantam a “clientela” – que quer ouvir apenas o que agrada – assuntos relacionados a boa saúde, prosperidade e relacionamentos restaurados.

Em resumo essas igrejas existem porque as pessoas querem igrejas assim. A verdade é que rejeitam o verdadeiro evangelho e por isso são enganadas.

Definitivamente não concordo com essa comercialização do evangelho, com a exploração que fazem com pessoas aflitas e com líderes religiosos que se enriquecem com a ruína dos outros. Mas isso não significa que a Bíblia não ensina a respeito de salários pastorais justos e de acordo com o trabalho que realizam.

Márcio Martins
Pastor da Igreja Batista Central de Olímpia
Agosto de 2015